Fotógrafa francesa acusa Polanski de estuprá-la em 1975


Valentine Monnier diz que tinha 18 anos quando foi atacada pelo cineasta na Suíça. O diretor francês Roman Polanski chega para a exibição do filme ‘Vous n’avez encore rien vu !’, que fez parte da mostra competitiva do 65º Festival de Cannes
AFP
A francesa Valentine Monnier acusou nesta sexta-feira (8) Roman Polanski de tê-la estuprado em 1975 na Suíça, quando ela tinha 18 anos, em uma declaração publicada pelo jornal “Le Parisien” a poucos dias da estreia do novo filme do cineasta franco-polonês.
Monnier, cuja acusação se soma a de outras mulheres nos últimos anos, revela que jamais denunciou o crime – agora prescrito – a polícia.
A mulher disse que decidiu revelar o estupro devido à estreia na França do filme “Eu acuso”, sobre um famoso erro judicial, o caso Dreyfus.
“Não tinha qualquer relação com ele, pessoal ou profissional, só o conhecia”, revela a fotógrafa Monnier, que foi modelo em Nova York e participou de alguns filmes nos anos 80, como “Três homens e um bebê” (1987).
“Foi de uma violência extrema, após esquiar, em seu chalé em Gstaad (Suíça), me agrediu até que me entreguei. Então me violentou me fazendo sofrer”.
O advogado do cineasta, Hervé Temime, afirmou ao jornal que Polanski “nega firmemente qualquer acusação de estupro”, e destaca que fatos que teriam ocorrido há 45 anos “jamais foram levados ao conhecimento das autoridades”.
Polanski é alvo da justiça dos Estados Unidos por um processo de corrupção de menores iniciado em 1977.
O cineasta admitiu em 1997 ter mantido relações sexuais ilegais com Samantha Geimer, de 13 anos, em um acordo com a justiça, após ser acusado inicialmente de crimes mais graves, incluindo estupro de uma menor sob a influência de narcóticos.
Condenado a 90 dias de prisão, foi libertado após 42 dias, mas o juiz mudou sua decisão, avaliando que a sentença era insuficiente. Em janeiro de 1978, Polanski fugiu para Paris e a justiça americana emitiu uma ordem de captura internacional.
Desde então tem sido objeto de outras acusações, que segundo seu advogado são “infundadas”.

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.