Brumadinho: Justiça de MG mantém bloqueio de R$ 5 bilhões da Vale por causa da tragédia


De acordo com o MP, medida é necessária para garantir recuperação do meio ambiente. Até o momento, 270 mortes foram confirmadas e 23 pessoas continuam desaparecidas. Letreiro na entrada de Brumadinho lembra as vítimas do rompimento da barragem da Vale
Raquel Freitas/G1 Minas
A 19ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) manteve o bloqueio de R$ 5 bilhões da Vale que havia sido determinado um dia depois do rompimento da Barragem do Córrego do Feijão, em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. A tragédia aconteceu no dia 25 de janeiro.
De acordo com o Ministério Público, o bloqueio é necessário para garantir a recuperação do meio ambiente.
No julgamento do recurso, o relator, desembargador Leite Praça, disse que “ainda que inviável estimar a exata extensão deste prejuízo, é possível prever o aniquilamento de ecossistemas de água potável, vida marinha e mata ciliar e, por consequência, danos imensuráveis ao meio ambiente, visto que eliminados recursos naturais insubstituíveis para a vida ribeirinha, para pesca, agricultura e turismo.”
Leite Praça indeferiu, também, o pedido da Vale de substituição da garantia financeira por imóveis ou fiança bancária.
A Vale ainda não se posicionou sobre a decisão.
Até o momento, 247 mortes já foram confirmadas. Outras 23 pessoas continua, desaparecidas.

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.